outubro, 2021

29out10:30 am12:30 pmVídeo-cartas: a poética política da distânciaOficina de História e Imagem10:30 am - 12:30 pm Campus de Campolide da NOVA — 1099-085 LisboaTipologia do Evento:Outros,Workshop

Imagem ilustrativa da Oficina de História e Imagem

Ver mais

Detalhes do Evento

Sessão aberta da Oficina de História e Imagem, uma apresentação-performance com Melina Wazhima Monné e Juan Pablo Ordóñez.

 

Vídeo-cartas: a poética política da distância

 

Entre os anos setenta e o início do novo século, a comunidade migrante equatoriana criou estratégias de resistência para superar a separação familiar, a nostalgia, o desenraizamento e um futuro sem data marcada para o reencontro.
Durante quarenta anos, os migrantes e suas famílias gravaram e trocaram milhares de horas de correspondência em vídeo, abarcando todos os aspectos da vida: de nascimentos a funerais, de festas a confissões, de cartas de amor aos processos de construção de casas, etc. Esse material, registado e enviado, contempla tudo aquilo que permitia criar a possibilidade de um presente conjunto apesar da distância. Dessa maneira, os emigrantes equatorianos geraram, sem premeditá-lo, uma memória extraordinária que dá rosto e voz aos protagonistas anónimos de uma parte importante da história contemporânea do Equador, hoje compilada no projeto AMAME (Arquivo da Memória Audiovisual da Migração Equatoriana).
Durante quatro décadas, os migrantes equatorianos testaram modalidades de criação de cartas audiovisuais apropriando a tecnologia e adaptando as narrativas da autorrepresentação às suas necessidades. As suas vídeo-cartas converteram-se na última etapa da comunicação em diferido, antes da chegada da comunicação em tempo real, que hoje nos invade com o seu imediatismo e a sua memória descartável.

 

Apresentação-performance de: Melina Wazhima Monné (Universidade de Lisboa) e Juan Pablo Ordóñez

Moderação de: Raquel Schefer (IHC — NOVA FCSH).

 

Para mais informações, contactar oficinahistoriaeimagem@gmail.com

 

Sobre os convidados:
Melina Wazhima Monné (Universidade de Lisboa)
A cineasta e realizadora audiovisual Melina Wazhima Monné (Cuenca, Equador, 1981; vive e trabalha em Lisboa) formou-se na Universidade de Barcelona. Atualmente, é doutoranda em Artes Performativas e da Imagem em Movimento na Universidade de Lisboa. É membro do coletivo de arte Ñukanchik People (ÑKP) desde 2005, intervindo ativamente na cena artística contemporânea equatoriana desde então. A sua prática artística inscreve-se e gera processos com uma visão política da arte e da sociedade através de projetos de investigação e curadoria, formação e redes, gestão cultural e artística, com especial interesse nos processos de memória e na criação horizontal de conhecimento. Professora de Cinema e Audiovisual, lecionou as disciplinas de guião e documentário na Universidade de Cuenca entre 2011 e 2019, tendo também colaborado com outros realizadores nos seus processos de escrita e montagem. Desenvolve atualmente o filme Lejanías, um ensaio cinematográfico baseado em vídeo-cartas de famílias migrantes equatorianas.

Juan Pablo Ordóñez (Cuenca, Equador, 1975; vive e trabalha em Lisboa) trabalha há mais de vinte anos no campo das artes. É um artista multifacetado, comprometido com a investigação e a experimentação formal. No seu percurso, encontram-se obras de expressão pictórica expandida, projetos de animação digital, incursões na criação videográfica e na arte da ação, da instalação e do objeto, assim como projetos políticos e comunitários, a par de outros conceptuais e íntimos. De entre as suas obras mais significativas, destacam-se Leitura Pública (performance e vídeo-cartas, 2008-2020), Grafías (pintura solar, instalação, 2007), San Salvador (instalação de fotografia expandida em contexto relacional, 2011), Asepsis (série performativa, 2001-2012). Desde 2006, Ordóñez tem estado involucrado em projetos curatoriais e de criação museográfica, bem como de gestão de laboratórios e residências, tendo assumido funções de coordenação nesse quadro. É membro do coletivo Ñukanchik People (ÑKP) e cofundador do Arquivo da Memória Audiovisual da Migração Equatoriana (AMAME).

 

Tempo

(Sexta-feira) 10:30 am - 12:30 pm

Localização

NOVA FCSH, Colégio Almada Negreiros, Sala 209

Campus de Campolide da NOVA — 1099-085 Lisboa

Organizador

X