fevereiro, 2023

02fevTodo o dia03Seca, Fome e Colonialismo Português em ÁfricaSimpósio internacional(Todo o dia) Campo Grande, 83 — 1749-081 LisboaTipologia do Evento:Simpósio

Fotografia de terra seca e estalada devido à seca

Ver mais

Detalhes do Evento

Simpósio sobre os contextos, as causas e as consequências sociais, económicas e ecológicas da seca e da fome na antiga África colonial portuguesa. Chamada: 16 de Maio de 2022

 

 

Seca, Fome e Colonialismo Português em África
História e Memória (séculos XIX-XXI)

 

 

Temos o prazer de anunciar o simpósio internacional Seca, Fome e Colonialismo Português em África – História e Memória, organizado pelo Instituto de História Contemporânea (NOVA FCSH), o Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (NOVA FCT), o Instituto de Ciências Sociais (UL) e o Global Health and Tropical Medicine (NOVA IHMT), e que terá lugar na Biblioteca Nacional, em Lisboa, nos dias 2 e 3 de Fevereiro de 2023.

Nas últimas décadas a investigação académica tem mostrado a forma como o continente africano é particularmente vulnerável à seca e à fome, e como a aridez dos solos e a pluviosidade irregular, combinadas entre si, têm tido consequências dramáticas para as populações humanas e animais e para as ecologias locais. Tem também sido demonstrado o impacto das políticas (pós-) coloniais entre os séculos XIX e XXI sobre as populações africanas e sobre as suas respostas aos fenómenos da seca e da fome, mas também destacada a forma como diferentes disciplinas científicas procuraram lidar com os diferentes desafios colocados pelas ecologias africanas. Nem todas as regiões e períodos históricos têm, no entanto, recebido a mesma atenção, continuando a existir uma lacuna significativa no que toca à compreensão da relação complexa entre seca, fome e colonialismo português em África.

Este simpósio tem como objectivo juntar estudantes de pós-graduação e investigadores de diferentes disciplinas para discutir os contextos, as causas e as consequências sociais, económicas e ecológicas da seca e da fome na antiga África colonial portuguesa. Outro dos seus objectivos consiste em promover o debate sobre as respostas que as populações e os governos deram à seca e à fome, dialogando com a investigação de relevo nas áreas da história ambiental, história do clima, história social, história imperial, história da ciência, história da saúde e história das migrações. Pretende-se aprofundar o conhecimento sobre a seca e a fome nestes territórios nos séculos XIX e XX, tanto através de estudos sobre contextos mais circunscritos, como através de abordagens à escala regional ou de natureza comparativa. Reconhecendo a importância de compreender em especial a forma como as fomes foram vividas e são lembradas nos países de língua oficial portuguesa no período pós-independência, este simpósio procura ainda discutir a questão da memória e das experiências vividas e transmitidas de indivíduos e comunidades confrontados com perdas de vida muito significativas, dificuldades extremas e traumas.

Os organizadores do simpósio convidam à apresentação de propostas centradas nos territórios da antiga África colonial portuguesa que abordem os seguintes tópicos, embora não estejam limitadas por eles:

• Fontes para a história da seca e de eventos climáticos relacionados com a seca;
• Concepções e conhecimento local sobre seca e fome;
• Estratégias agrícolas, sociais e económicas locais para lidar com a seca e a fome;
• História dos sistemas alimentares, da segurança alimentar e de culturas e práticas utilizadas para prevenir a fome;
• Respostas coloniais à seca e à fome e o seu impacto sobre as populações afectadas;
• Consequências demográficas, sociais e económicas da seca e da fome no período colonial e pós-colonial;
• Seca, fome, migrações humanas e populações deslocadas;
• Saúde pública, nutrição, seca e fome;
• Legados das respostas coloniais à seca e à fome na África pós-colonial;
• Respostas pós-coloniais à seca e à fome e os seus impactos;
• Memória da seca e da fome na África colonial e pós-colonial;
• Silêncios e lacunas na historiografia da seca e da fome nas antigas colónias portuguesas em África.

 

São bem-vindas as perspectivas da história ambiental, da história imperial, da história da ciência e da história da saúde, mas também da antropologia, dos estudos sobre migrações e dos estudos pós-coloniais. Encorajamos em especial a participação de estudantes de pós-graduação e de investigadores oriundos de países de língua oficial portuguesa.

 

Línguas oficias do simpósio: Português e Inglês

A participação no simpósio é gratuita.

Caso estejam em vigor restrições que impeçam a realização do simpósio em formato presencial, este terá lugar em formato híbrido ou virtual.

 

Submissão de propostas

 

As propostas, em língua portuguesa ou inglesa, devem ser enviadas para droughtandfaminesymposium2023@gmail.com até 16 de Maio de 2022 e devem incluir:

Nome(s);
Contacto(s) de email;
Afiliação institucional;
Uma curta biografia do(s) autor(es) (máx. 100 palavras);
Título da comunicação;
Resumo (máx. 300 palavras).

Deste Simpósio resultará a publicação de um livro com algumas das comunicações aí apresentadas.

 

Datas importantes

 

16 de Maio de 2022: Prazo para entrega das propostas;
30 de Junho de 2022: Data de notificação dos autores;
15 de Julho de 2022: Divulgação do programa provisório do simpósio.

 

Organizadores/as

 

Pedro Aires Oliveira (IHC — NOVA FCSH / IN2PAST)
Cláudia Castelo (ICS — ULisboa)
Bárbara Direito (CIUHCT — NOVA FCT)
Philip J. Havik (GHTM — NOVA IHMT)

 

Todas as questões relacionadas com o simpósio devem ser endereçadas aos organizadores através do seguinte email: droughtandfaminesymposium2023@gmail.com

 

>> Descarregar a chamada para comunicações (PDF) <<

 

Imagem de Renzo D’souza no Unsplash

 

Tempo

fevereiro 2 (Quinta-feira) - 3 (Sexta-feira)

Localização

Biblioteca Nacional de Portugal

Campo Grande, 83 — 1749-081 Lisboa

Organizador

Várias instituições

X