outubro, 2022

20outTodo o dia21Ouvir de Olhos AbertosColloquium(Todo o dia) Rua José Dias Coelho, 27-29 — 1300-327 LisbonTipologia do Evento:Colloquium

Imagem ilustrativa do colóquio

Ver mais

Detalhes do Evento

Colloquium that aims to contribute to the mapping of research on the different dimensions of the relationship between music and politics in Portugal throughout the 20th century. Deadline: 31 May 2022

 

Ouvir de Olhos Abertos:
Música e Política em Portugal no Século XX

 

 

Cartaz do colóquio "Ouvir de Olhos Abertos". 20 e 21 de Outubro, na Biblioteca Municipal de Alcântara, LisboaOs estudos focados nos cruzamentos entre prática musical e atividade política têm ocupado, nas últimas décadas, um espaço cada vez mais relevante no panorama académico internacional. A investigação sobre o papel da música enquanto veículo de ideários políticos e enquanto estímulo para a mobilização social, assim como o estudo da actividade político-partidária exercida por músicos e comunidades musicais, têm constituído temas de destaque na produção científica de diversas áreas, sendo a relação entre música e política analisada através de diferentes abordagens em diversos domínios científicos – a história, a musicologia, a etnomusicologia, a sociologia, a antropologia, entre outros.

Em Portugal, ao longo do século XX, a música constituiu uma importante ferramenta de expressão política. Através de diferentes géneros, correntes, estilos e práticas musicais, o papel e o impacto da música na vida social do país pode ser analisado, entre outros aspetos, através dos seus múltiplos usos e significados no âmbito das várias transformações políticas ocorridas durante este período, tais como: a introdução de conteúdos satíricos e de crítica social durante o fim da monarquia e a I República; a sua instrumentalização ideológica e propagandística durante a ascensão e consolidação do Estado Novo; a configuração de formas de resistência e de
contestação contra o regime ditatorial; o caráter interventivo e de compromisso partidário na defesa de valores revolucionários durante e após o processo de transição para a democracia constitucional; o desenvolvimento de novos domínios musicais durante e após a adesão de Portugal à Comunidade Económica Europeia; e, mais recentemente, o seu uso por novos movimentos de contestação social a modelos económicos neoliberais, entre outros tópicos.

Reconhecendo a importância do contributo científico neste debate, este colóquio propõe que se aborde a interação entre música e política no contexto português, apelando ao diálogo multidisciplinar e plural, tendo como objetivo contribuir para o mapeamento do estado atual da investigação que incida sobre as diferentes dimensões da relação entre música e política em Portugal ao longo do século XX.

 

 

Chamada para comunicações

 

Áreas temáticas a abordar:

● Música na 1ª República
● Instituições e políticas culturais no Estado Novo
● Música e comemorações oficiais
● Censura e repressão política
● Música e resistência
● Música e política no cinema e no teatro
● Canção de protesto e de intervenção nas décadas de 1960 e 1970
● Práticas musicais no exílio
● Música, colonialismo e movimentos independentistas
● Música e revolução
● Música e atividade partidária
● Música e representatividade de género
● Música tradicional portuguesa – usos e significados políticos
● Dimensão contestatária das práticas do pop-rock em Portugal
● Movimento rap e hip-hop em Portugal
● Música e novos movimentos sociais de contestação

 

Tratando-se de um colóquio interdisciplinar, terá como convidados os seguintes oradores principais:

Robert Adlington: musicólogo, é desde 2017 Queen’s Anniversary Prize Chair em Música Contemporânea na Universidade de Huddersfield (Reino Unido). Os seus interesses de investigação e as suas publicações têm-se focado nas relações entre música e democracia, música e comunismo e música e movimentos sociais e políticos.

Anthony Seeger: antropólogo e etnomusicólogo, é Professor Emérito no departamento de Etnomusicologia da Universidade da Califórnia, Los Angeles (EUA). É autor de um vasto número de publicações sobre assuntos relacionados com direitos humanos indígenas, arquivística, música tradicional e música folk norte-americana.

 

As propostas de comunicação deverão ser enviadas em ficheiro Word para o endereço de email muspolptxx@gmail.com, até 31 de Maio de 2022, com os seguintes elementos:

– Título da comunicação
– Resumo até 3000 caracteres (incluindo espaços)
– Biografia abreviada até 1500 caracteres (incluindo espaços)
A comunicação da aceitação de propostas será feita individualmente por email até ao final de Junho.

Para mais informações, contactar muspolptxx@gmail.com.

 

>> Descarregar a chamada para comunicações (PDF) <<

 

 

Comissão Científica

 

João Madeira (IHC — NOVA FCSH / IN2PAST)
José Neves (IHC — NOVA FCSH / IN2PAST)
Luís Trindade (CEIS20 — Universidade de Coimbra)
Manuel Deniz Silva (INET-md — NOVA FCSH)
Mário Vieira de Carvalho (CESEM — NOVA FCSH)
Paula Godinho (IHC — NOVA FCSH / IN2PAST)
Salwa Castelo-Branco (INET-md — NOVA FCSH)
Susana Martins (IHC — NOVA FCSH / IN2PAST)

 

Comissão organizadora

 

Hugo Castro (INET-md / NOVA FCSH)
João Madeira (IHC — NOVA FCSH / IN2PAST)
Manuel Deniz Silva (INET-md / NOVA FCSH)
Ricardo Andrade (INET-md / NOVA FCSH)

 

Tempo

outubro 20 (Quinta-feira) - 21 (Sexta-feira)

Localização

Alcântara Library

Rua José Dias Coelho, 27-29 — 1300-327 Lisbon

Organizador

Institute of Contemporary History — NOVA School of Social Sciences and Humanities and Instituto de Etnomusicologia - Centro de Estudos em Música e Dança

X