Biografias // PAIS, Sidónio Bernardino Cardoso da Silva (1872-1918)

PAIS, Sidónio Bernardino Cardoso da Silva (1872-1918)
Presidente da República e ministro do Fomento, das Finanças, da Guerra e dos Negócios Estrangeiros
Tags:

Nasceu em 1 de Maio de 1872 e aos dezasseis anos ingressou no Exército tornando-se oficial de Artilharia. Paralelamente à carreira militar desenvolveu uma intensa actividade académica. Doutorado em Matemática pela Universidade de Coimbra frequentou também o curso de Filosofia alcançando o grau de bacharel e obtendo em ambos os casos a nota final de 19 valores. Seguiu-se, depois, o exercício da docência da cadeira de Cálculo Diferencial e Integral e entre 1908 e 1911 das funções de reitor da Universidade de Coimbra, que o afastam do serviço efectivo no Exército. Ainda, assim, em 18 de Março de 1916, foi graduado no posto de major, embora se encontrasse na situação de adido.

Depois da implantação da República iniciou uma carreira política, tendo sido presidente da Comissão Administrativa Municipal de Coimbra, presidente de câmara, deputado, senador e ministro. Primeiro, do Fomento (3 de Setembro de 1911 a 12 de Novembro de 1911), depois das Finanças (12 de Novembro de 1911 a 16 de Junho de 1912). Passa, pouco depois, à carreira diplomática, ocupando o lugar de ministro plenipotenciário de Portugal em Berlim (17 de Agosto de 1912 a Março de 1916).
Porém, foi a chefia do movimento revolucionário de 5 de Dezembro de 1917 que o projectou para a ribalta política. Após a revolução ocupou os cargos de presidente do Ministério, ministro da Guerra e dos Negócios Estrangeiros. Ainda, antes do final do ano acumulou a presidência do Governo com a da República iniciando um período de governação de tipo presidencialista que ficou conhecido por Sidonismo.

Eleito Presidente da República por voto popular no fim de Abril de 1918, não se manteve no desempenho daquelas funções durante muito tempo, pois em 14 de Dezembro de 1918 foi assassinado.