Biografias // BARRETO, António Xavier Correia (1853-1939)

BARRETO, António Xavier Correia (1853-1939)
Ministro da Guerra

Nasceu em Lisboa a 25 de Fevereiro de 1853 e faleceu em Sintra, no dia 15 de Agosto de 1939. Começou por distinguir-se nos estudos, em particular no campo das ciências físico-químicas, tendo mesmo, em 1885, publicado um trabalho sobre a Química e as pólvoras, obra que veio a ser oficialmente adoptada.

Enquanto oficial de artilharia, demonstrou ser um oficial competente o que lhe valeu uma rápida ascensão na carreira e a sua nomeação, em 1909, para director da Fábrica da Pólvora, após ter realizado, com êxito, diversos estudos físico-químicos, entre os quais se destaca a invenção de um tipo de pólvora sem fumo.

No campo político, sendo um republicano convicto, foi convidado pelo almirante Cândido dos Reis para integrar o comité organizador da revolução de 5 de Outubro de 1910 e após esta ter triunfado fez parte do Governo Provisório, assumindo a pasta da Guerra, cargo que ocupou até 2 de Setembro de 1911. No desempenho desta função foi o responsável pela profunda reforma republicana do Exército e deixou o seu nome associado à criação do Instituto Profissional dos Pupilos do Exército. Mais tarde, entre 16 de Junho de 1912 e 8 de Novembro de 1913 voltou a ser ministro da Guerra e no ano seguinte foi promovido a general.

Participou nas Constituintes, foi senador em todas as legislaturas, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, director do Arsenal do Exército e comandante da Guarda Nacional Republicana. Quando ocorreu o 28 de Maio de 1926 era Presidente do Senado, tendo nessa altura, abandonado a vida política.