Grupos Investigação // História Política Comparada – Regimes, Transições, Colonialismo e Memória

  • Coordenação:
    Fernando Rosas e Maria Inácia Rezola
  • Objectivos:
    Grupo de Investigação História Política Comparada
    Estudo da Historia política de Portugal no século XX numa perspectiva de comparação internacional centrada na Europa, África e América Latina. Este Grupo de Trabalho resultou da fusão (decidida na Assembleia Geral do IHC em 2011) de 4 grupos de trabalho, com vista a racionalizar, coordenar e fazer interagir as respectivas áreas de estudo. Esses grupos passaram a constituir 4 linhas de investigação autónomos no seio do novo G.T.:

    a) I República;
    b) Estado Novo e Resistência;
    c) Revolução e Democracia;
    d) Políticas de Defesa e Relações Internacionais.

    À luz da estratégia geral de investigação definida no Plano de Actividades do IHC para 2011/2012, pretende-se abordar, nas suas várias épocas, regimes e diferentes especialidades da História política, a problemática da modernidade e dos seus impasses na contemporaneidade portuguesa em óptica comparada, promovendo a seguinte tipologia de actividades:
    • organização de colóquios, congressos e encontros científicos nacionais e internacionais;
    • organização de seminários aprofundados para investigadores do (GT) e de outros centros;
    • estimular a participação com apresentação de comunicações em encontros científicos nacionais e internacionais por parte dos investigadores do G.T.;
    • estimular a produção e publicação de trabalhos científicos por parte dos investigadores através de livros, co-autorias, capítulos de livros ou de artigos em revistas nacionais e internacionais com referee e indexadas internacionalmente;
    • apoiar a elaboração das dissertações de doutoramento e as investigações de pós-doutoramento por parte dos investigadores que o solicitem;
    • promover e apoiar a apresentação de projectos de investigação nas diferentes áreas de especialidade por parte dos seus investigadores;
    • responder às solicitações e encomendas de prestação de trabalho científico por parte das entidades públicas ou privadas que a procurem no IHC e nestas áreas de especialidade;
    • promover a constituição e a internacionalização de redes de cooperação científica nas diferentes áreas com outros GT ou com outras unidades científicas nacionais e estrangeiras;
    • promover a realização de cursos de formação e actualização científica nas diferentes.

    Linha de Investigação I República
    Objectivos desta linha de investigação. 

    Linha de Investigação Estado Novo e Resistência 
    O golpe militar de 25 de Abril de 1974 abriu a chamada terceira vaga das democratizações Europa do Sul. O processo então iniciado rompe com os parâmetros de transição até então conhecidos. Um processo que contou com a activa participação dos militares congregados em torno do MFA, em que se assiste a profunda uma crise de Estado em que ocorreu, em simultâneo, a democratização e a descolonização. Foi uma transição para a democracia por ruptura, pela via revolucionária, que provocou uma forte mobilização anti-ditatorial, determinante para a imediata dissolução das instituições conotadas com o regime deposto.

    Passados 30 anos sobre o derrube do regime fascista, a transição portuguesa desperta um crescente interesse enquanto objecto histórico. Para tal contribuem factores diversos como a abertura de novos arquivos, a divulgação de entrevistas/testemunhos de protagonistas e, ainda, o facto de o mito da falta de distanciamento em relação ao período se ir progressivamente dissipando. Estando reunidas as condições ideias para que novos progressos sejam feitos neste domínio da História Contemporânea, o grupo Revolução e Democracia propôs-se:

    • aprofundar e desenvolver a investigação e estudos sobre a Revolução e a transição democrática portuguesa;
    • abrir novas áreas de investigação sobre o período, procurando incentivar o desenvolvimento de pesquisas em temáticas e sectores ainda pouco estudadas (reforma agrária, estrutura militar, nacionalizações, meios de comunicação social, justiça transicional); 
    • proceder a uma análise comparativa do processo de transição para a democracia;
    • proceder à recolha de testemunhos orais sobre o período.
    Linha de Investigação Revolução e Democracia
    Objectivos desta linha de investigação.

    Linha de Investigação Política de Defesa e Relações Internacionais
    Objectivos desta linha de investigação.
  • Investigadores:
  • Projectos de investigação em curso:
    Grupo de Investigação História Política Comparada
    • A “Nova República do Pós-Guerra (1918-1926). O caso português em perspectiva comparada na Europa do Sul ” Refª: PTDC/HIS-HIS/102287/2008 -FCT
    • Estado e memória: políticas públicas da memória da ditadura portuguesa (1974-2009)” (PTDC/HIS-HIS/121001/2010, submetido à FCT) Coordenação: Manuel Loff
    • Authoritarian Legacies and Transitional Justice in Portugal’s Democratization (PTDC/HIS-HIS/103286/2008) – is lead by Irene Pimentel – FCT  

    Linha de Investigação I República
    Projectos de investigação em curso desta linha de investigação.

    Linha de Investigação Estado Novo e Resistência
    Projectos de investigação em curso desta linha de investigação.

    Linha de Investigação Revolução e Democracia

    • Justiça Política na Transição para a Democracia em Portugal, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia do Ministério da Ciência e do Ensino Superior (PTDC/HIS-HIS/103286/2008).
    • Os Militares e a Transição para a Democracia, financiado pela Associação 25 de Abril.

    Linha de Investigação Políticas de Defesa e Relações Internacionais

    • Foreign Policy and Political Regimes: Portugal 1890-2010, led by Henrique Nuno Pires Severiano Teixeira¸ PTDC/HIS-HIS/119671/2010
  • Outros Projectos:
    Grupo de Investigação História Política Comparada
    • Borges, Paula Santos. Investigadora do projecto Crença e Cidadania: Organizações e Imprensa Católicas na Sociedade Portuguesa do Século XX (Ref: PTDC/HIS-HIS/113765/2009), com supervisão científica de Paulo Fontes, desenvolvido Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa (CEHR-UCP). Tempo dispendido: 10%.
    • Santos, José Miguel Pereira dos Reis (projectos com apoio da FCT):
      • Political Patronage in Portugal, Universidade de Aveiro, 2007 – presente (2011).Percentagem de participação: 10%.
      • Iberian Transitions, Instituto de Ciências Sociais, 2007 – presente (2011). Percentagem de participação: 10%.
    • Loff, Manuel, Estado e memória: políticas públicas da memória da ditadura portuguesa (1974-2009) (PTDC/HIS-HIS/121001/2010, submetido à FCT) - aprovado em Setembro de 2011, aguarda financiamento para início de atividades previsto para Janeiro de 2012.
    • Ferreira, Ana Sofia:(Re)construções da memória da ditadura na democracia portuguesa (1974-2008)
    • Girotto, Elisabetta, Generaçoes em confronto: cordinaçao Professor Fernando Rosas (IHC), co-cordinaçao Dra. Elisabetta Girotto (IHC)
    • Girotto, Elisabetta, Autoritarismo, transizioni, memoria: cordençao Professor  Fernando Rosas (IHC), Professor Jan Jordachi (Centro Estudos de Budapest)
    • Girotto, Elisabetta:Cooordenação de Geraçoes em confronto (100%)
    • Ninhos, Claudia, Investigadora (50%) no projecto PTDC/HIS-HCT/111330/2009- O Poder da Ciência. Ciência Alemã em Portugal (1933-45), financiado pela FCT (2011-2014)
    • Rosas, Fernando, Martins, Susana Coordenação do projecto de investigação: Mapping the PES Party Members, Party of the European Socialists, 2010 - 2011
    • Rosas, Fernando, projecto ptdc/his-his/102287/2008 “ a nova república do pós-guerra (1919-1926). o caso português em perspectiva comparada na europa do sul”.
    • Rosas, Fernando, A Voz das Vítimas” exposição e catálogo  na antiga cadeia polítioca do Aljube. Projecto IHC/Fundação Mario Soares/Não Apaguem a Memória, protocolado com a CM de Lisboa e apoiado pela CNCCR
    • Rezola, Maria Inácia, Consultora do projecto Crença e Cidadania: Organizações e Imprensa Católicas na Sociedade Portuguesa do Século XX, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia do Ministério da Ciência e do Ensino Superior (PTDC/HIS-HIS/113765/2009). Instituição de acolhimento: Centro de Estudos de História Religiosa (CEHR) da Universidade Católica Portuguesa.
    • Rezola, Maria Inácia Rezola, Membro da equipa de investigação do projecto Justiça Política na Transição para a Democracia em Portugal, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia do Ministério da Ciência e do Ensino Superior (PTDC/HIS-HIS/103286/2008). Instituição de acolhimento: Instituto de História Contemporânea da FSCH/UNL. Instituição colaborante: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.
    • Rezola, Maria Inácia, Membro da equipa de investigação do projecto Os Militares na Transição para a Democracia em Portugal, financiado pela Associação 25 de Abril (parceria celebrada entre a Associação 25 de Abril, o Centro de Estudos de História Contemporânea do ISCTE e o Instituto de História Contemporânea da FCSH-UNL).
    Linha de Investigação I República 
    Outros projectos desta linha de investigação.

    Linha de Investigação Estado Novo e Resistência
    Outros projectos desta linha de investigação.
        
     
    Linha de Investigação Revolução e Democracia
    • Melo Antunes: uma biografia política. Militar, pensador, estadista, consensualmente considerado o ideólogo do Movimento dos Capitães, o percurso político de Ernesto Melo Antunes é desconhecido para a maioria dos portugueses. Com este projecto, iniciado em 2009, pretende-se colmatar esta lacuna e revelar o contributo de Melo Antunes para a Revolução e construção da democracia portuguesa.
    Linha de Investigação Política de Defesa e Relações Internacionais
    • Oliveira, Pedro Aires, Investigador no projecto ‘Portugal is not a “Small Country”: The End of the Portuguese Colonial Empire in a Comparative Perspective’ (PTDC/HISHIS/108998/2008)
  • Actividade:
    Grupo de Investigação História Política Comparada
    Actividade do grupo de investigação.

    Linha de Investigação I República 
    Actividade desta linha de investigação.
     
    Linha de Investigação Estado Novo e Resistência 
    Actividade desta linha de investigação.

    Linha de Investigação Revolução e Democracia
    Apesar de embrionária, esta área temática tem vindo a ganhar crescente importância na investigação realizada no IHC. O primeiro reflexo desta realidade é a conclusão de algumas teses de doutoramento e mestrado, incidindo sobre aspectos centrais da transição. Desde logo, a complexa questão dos Meios de Comunicação Social (“caso Renascença” e “caso dos 24”). Depois, a questão das nacionalizações e dos papel dos militares na Revolução.
    Espera-se a conclusão, para breve, de novas teses incidindo sobre os movimentos sociais nas primeiras fases da Revolução e a sobre Reforma Agrária.
    Paralelamente, têm-se realizado seminários de investigação que permitem a discussão e troca de experiências entre os investigadores do IHC e de instituições congéneres, numa perspectiva pluridisciplinar. No mesmo sentido, é promovida a participação em colóquio e conferências, nacionais e internacionais.

    Linha de Investigação Política de Defesa e Relações Internacionais
    A Linha de Investigação “História atlântica comparada, Políticas de Defesa e Relações Internacionais” tem como objecto central o estudo da História Militar Contemporânea portuguesa (Séculos XIX e XX) e da História das Relações Externas portuguesas (séculos XIX e XX). Produto de uma fusão operada em 2010, o grupo privilegiará uma abordagem histórica de natureza essencialmente pluridisciplinar, podendo destacar-se como directrizes principais:
    • Evolução doutrinal das concepções sobre estratégia e defesa nacional
    • Políticas e projectos de organização e reorganização das Forças Armadas
    • Relações das Forças Armadas com o poder político: as intervenções políticas dos militares
    • História político-militar das campanhas militares nacionais
    • O papel dos militares na sociedade portuguesa Memória de guerra
    • A interligação entre a dimensão colonial e a política externa
    • As alianças internacionais de Portugal
    • As organizações internacionais
    • Os decisores e os processos de decisão em política externa
    • O papel de grupos não estatais e questões transnacionais nas relações internacionais.
  • Planos de Actividades:
    Grupo de Investigação História Política Comparada
    Plano de Actividades 2012.pdf

    Linha de Investigação I República 
    Plano de Actividades 2012.pdf

    Linha de Investigação Estado Novo e Resistência
    Plano de actividades 2012.pdf

    Linha de Investigação Revolução e Democracia 
    Plano de Actividades 2012.pdf

    Linha de Investigação Política de Defesa e Relações Internacionais 
    Plano de Actividades 2012.pdf
  • Relatórios de Actividades:
    Grupo de Investigação História Política Comparada
    Relatório de Actividades 2011.pdf

    Linha de Investigação I República
    Relatório de Actividades 3T2011.pdf

    Linha de Investigação Estado Novo e Resistência 
    Relatório Científico 2011.pdf

    Linha de Investigação Revolução e Democracia
    Relatório Científico 2011.pdf

    Linha de Investigação Política de Defesa e Relações Internacionais
    Relatório Científico 2011.pdf