Edições do IHC // Espaços, redes e sociabilidades. Cultura e política no associativismo contemporâneo
Espaços, redes e sociabilidades. Cultura e política no associativismo contemporâneo
  • Espaços, redes e sociabilidades. Cultura e política no associativismo contemporâneo
  • PEREIRA, Joana Dias; SAMARA, Maria Alice; GODINHO, Paula (Org.)
  • -
  • Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa
  • Lisboa
  • Junho de 2016
  • ISBN / ISSN: 978-972-96844-7-0
  • Idioma: Português, inglês e espanhol
  •  

    Disponível para download neste link.


    Resumo:
    Do encontro entre diferentes agendas de investigação, encontrámos pontos de contacto e interesses paralelos, neste caso no que diz respeito à intersecção entre espaços, redes e sociabilidades e o movimento associativo contemporâneo. Ao pensarmos em locais (na sua pluralidade de sentidos), formas de ligação e formação de comunidades, bem como em partilhas do comum (do tempo, do espaço, das vontades, dos lazeres), encontramos como ponto de convergência o associativismo contemporâneo. Em permanente transformação, podemos surpreender diferentes redes, variáveis nas suas configurações, representam um importante papel político e cultural como articulação de experiências vividas e, em si, forma de ação na procura da passagem do individual ao colectivo. O seu papel nas diferentes formas de resistência e nos diferentes repertórios de ação colectiva e mobilização cultural e política tem importância para a forma como pensamos os nossos trabalhos no terreno comum entre a história e a antropologia. À forma de ligação e de organização destas redes – da vizinhança ao ciberespaço – corresponde, em boa parte dos casos, uma forma particular de articulação de um colectivo e, ainda, práticas de sociabilidade próprias. Interessa-nos acentuar nestas o seu carácter político e cultural, reencontrando a forma como se constituem comunidades que congregam, difundem e multiplicam vozes individuais num colectivo atuante. Sem reduzir os diversos e diferentes trabalhos agora publicados, vale a pena, contudo salientar que nesta obra encontramos um arco temporal do século XIX até à contemporaneidade. Ficamos a conhecer várias de entre as formas de associação e de cooperação e mutualismo. Foram, igualmente analisadas diferentes formas de intervenção, de mobilização e de participação políticas. Finalmente, terminamos com um caso particular que cruza o associativismo e a emigração, interligando análise e testemunho.