Cursos de Verão // Os Tempos da Guerra Peninsular 1808–1814

XVIII CURSO DE VERÃO
Coordenação científica: Prof. Doutor Fernando Dores Costa
Local: Palácio Nac. da Ajuda, Sala Dom Carlos
Data: 24-27 de Setembro de 2008
Ao contrário de uma ideia que em tempos se quis construir, a guerra não foi frequente em terras portuguesas, em contraste como o que aconteceu na Europa Central. As populações não tinham, em geral, memória vivida da última situação de perigo bélico.

A chamada Guerra Peninsular constituiu o único conflito em que Portugal foi o local escolhido para a confrontação de exércitos estrangeiros e, consequentemente, alvo das devastações em larga escala provocadas pelas suas movimentações preparatórias e pelas batalhas travadas. Desde o final de Novembro de 1807, Portugal passou a estar militarmente integrado no sistema continental do Império de Napoleão, então no seu auge. As revoltas em Espanha, até então aliada desse Império, e depois em Portugal alteraram esta situação. Desde 1808 e, mais claramente, durante os dois anos seguintes, Portugal tornou-se o local de afirmação de uma contra-ofensiva britânica contra Napoleão, na direcção da qual se vai destacar a figura de Wellington.

Num país debilitado pela perda da ligação comercial ao Brasil, pelas medidas de bloqueio à Inglaterra e de debilitação de quaisquer formas de resistência, as populações vão sofrer dramaticamente os efeitos das exigências militares, nomeadamente os das violentas formas da retaliação por actos de resistência e também os do deslocamento forçado dos povos e da compulsiva destruição de recursos.
A descida aos infernos da guerra deu-se em Portugal entre 1808 e 1810.


PROGRAMA

24-09-2008
4.ª-feira

14:30
RECEPÇÃO AOS PARTICIPANTES
Fernando Rosas (presidente do IHC), Isabel Silveira Godinho (directora do PNA), João Sáàgua (director do IMC)

15:00
SESSÃO INAUGURAL LA GUERRA DE LA INDEPENDENCIA ESPAÑOLA: RASGOS DISTINTIVOS DE LA CRISIS BÉLICA
Enrique Martínez Ruiz (Universidade Complutense de Madrid)

15:45
PORTUGAL, CENÁRIO TERRITORIAL OU NAÇÃO AUTÓNOMA NO CONTEXTO DAS GUERRAS PENINSULARES?
António Pedro Vicente (FCSH/UNL)

16:30
PORTO DE HONRA

25-09-2008
5.ª-feira

Perspectivas sobre a Guerra Peninsular
10:00
UMA BREVE INTRODUÇÃO AOS VÁRIOS TEMAS DA GUERRA PENINSULAR
Fernando Dores Costa (ISCTE)

10:45
INSTITUIÇÕES E PODER POLÍTICO. ANTES E DEPOIS DAS INVASÕES
José Subtil (UAL)

11:30
INTERVALO PARA CAFÉ

11:45
DEBATE

13:00
INTERVALO PARA ALMOÇO

14:30
SUBMISSÃO E PATRIOTISMO DURANTE A GUERRA PENINSULAR. IDEIAS POLÍTICAS, SÍMBOLOS E DISCURSOS
Ana Cristina Araújo (FLUC)

15:15
MEMÓRIA CULTURAL E REPRESENTAÇÕES DA GUERRA PENINSULAR EM NARRATIVAS PORTUGUESAS E BRITÂNICAS
Gabriela Terenas (FCSH/UNL)

16:00
DEBATE

16:30
EXPRESSÕES DA GLORIFICAÇÃO RÉGIA E DA DERROTA NAPOLEÓNICA NOS TECTOS DA AJUDA
João Vaz (conservador da colecção de pintura do Palácio Nacional da Ajuda)
26-09-2008
6.ª-feira

A Guerra, as Regiões, as Comunicações, a Economia
10:00
AS INTERVENÇÕES FRANCO-ESPANHOLAS NA CIDADE DO PORTO E NO NORTE DE PORTUGAL NO DECURSO DAS INVASÕES DE 1807-1808 E DE 1809
Jorge Martins Ribeiro (UP)

10:45
A JUNTA DE VIANA E A RESTAURAÇÃO NACIONAL DE 1808 NO NORTE DE PORTUGAL
(Henrique Martins de Matos, EBI Monsenhor Elísio Araújo)

11:30
INTERVALO

11:45
AS MOVIMENTAÇÕES MILITARES DO EXÉRCITO NAPOLEÓNICO NO ALENTEJO EM 1807- 1808. ANÁLISE DOS RELATOS DO TENENTE-GENERAL THIÉBAULT
José Luís Assis (Universidade de Évora-UE)

14:30
O COMÉRCIO EXTERNO DE PORTUGAL E A GUERRA PENINSULAR
António Alves Caetano (Investigador)

15:15
COMUNICAR EM TEMPO DE GUERRA: A TELEGRAFIA ÓPTICA
João Tavares (FCSH/UNL)

16:00
INTERVALO

16:15
PREPARAÇÃO DA VISITA ÀS LINHAS DE TORRES

27-09-2008
SÁBADO

9:30
VISITA GUIADA ÀS LINHAS DE TORRES