Congressos e Colóquios // A Diplomacia Económica na Europa do Sul

Organização: Instituto de História Contemporânea - FCSH/NOVA
Local: Lisboa
Datas: 23 e 24 de Novembro de 2017

A DIPLOMACIA ECONÓMICA NA EUROPA DO SUL: DOUTRINAS, AGENTES, PERCURSOS (SÉCULOS XIX-XX)

 

Apresentação:

A diplomacia económica revela-se como um fator significativo na análise da construção da globalização em que hoje nos inserimos, constituindo um mecanismo com elevado potencial para a execução de objetivos de crescimento económico dos países. A sua importância pode ser compreendida, por um lado, na sua dimensão de internacionalização e abertura ao exterior dos mercados internos, por outro lado, na organização de zonas de influência e a paulatina edificação de países economicamente hegemónicos.

A compreensão deste fenómeno na perspetiva histórica, desde o liberalismo do século XIX até ao neoliberalismo da década de 1980, passando pelos modelos autárcicos dos fascismos, a nova ordem internacional do pós-Segunda Guerra Mundial e a construção europeia, é necessária para a compreensão alargada sobre as práticas económico-diplomáticas que hoje ocupam um lugar central no debate político. A economia como catalisador das práticas diplomáticas entre países envolve ainda uma miríade de atores, onde as formas de coordenação para a persecução de objetivos se operam de múltiplas formas, desde as construções teóricas à praxis governativa.

O caso da Europa do Sul (Portugal, Espanha, Itália e Grécia) revela-se importante na concetualização destas questões. Com estruturas económicas assentes no setor primário e com um tardio processo de industrialização caraterizado por avanços e recuos, foram-se estabelecendo níveis de dependência, paulatinamente mitigados após a criação dos movimentos de cooperação emergentes no contexto do pós-guerra. Averiguar os comportamentos diplomáticos ao longo da contemporaneidade e os seus reflexos na economia desta região torna-se importante na compreensão da construção do mundo global dos nossos dias.

Tendo presentes estas questões, pretende-se abordar as múltiplas dimensões do caso da Europa do Sul enquanto economia periférica e a sua inserção nas relações diplomáticas de âmbito económico através da realização de uma conferência interdisciplinar (história, ciências políticas, económicas e sociais).

 

Calendarização:

Abertura para a apresentação de propostas – 15 de Fevereiro de 2017
Término de apresentação de propostas – 30 de Abril de 2017
Respostas às propostas apresentadas – 30 de Maio de 2017
Divulgação do programa – 15 de Junho de 2017

 

CHAMADA PARA TRABALHOS

 

Comissão Organizadora:

Ana Paula Pires (IHC-FCSH/NOVA e Stanford University)
Isabel Baltazar (IHC-FCSH/NOVA)
Leonardo Aboim Pires (IHC-FCSH/NOVA)
Marisa Fernandes (IHC-FCSH/NOVA)
Teresa Nunes (IHC-FCSH/NOVA e FLUL)
Yvette Santos (IHC-FCSH/NOVA)

 

Comissão Científica:

Alice Cunha (IHC-FCSH/NOVA)
Filipe Ribeiro de Meneses (IHC-FCSH/NOVA e University of Ireland Maynooth)
João Paulo Avelãs Nunes (CEIS20/UC e IHC-FCSH/NOVA)
José Maria Brandão de Brito (ISEG/UL e IHC-FCSH/NOVA)
Maria Fernanda Rollo (IHC-FCSH/NOVA)
Maria Manuela Tavares Ribeiro (CEIS20/UC)
Pedro Aires Oliveira (IHC-FCSH/NOVA)
Teresa Nunes (IHC-FCSH/NOVA e FLUL)