Research Groups // Global History of Labour and Social Conflicts

  • Coordination:
    Raquel Varela
  • Objectives:
    The intensification of social conflicts in the last decade has encouraged a comeback of academic studies of labour and social movements. The Study Group of Labour and Social Conflicts wants to be part of this process – to restore, promote and disseminate the history of labour, the labour movement and social movements and social conflicts of the nineteenth and twentieth centuries.

    The Study Group on Labour and Social Conflicts welcomes national and international researchers, universities and research units who study the labour movement, social movements, strikes and social conflicts in the contemporary period (nineteenth, twentieth and twenty-first centuries) as well as theoretical discussion papers on political organizations and unions, on the history of socialist political thought and also research on methodology and historiography of the labour movement and social movements.1

    The Study Group on Labour and Social Conflicts welcomes researchers from all areas of social sciences, favouring an interdisciplinary approach where history is essential in the course of investigations and aiming to integrate these studies in the main theoretical discussions and debates of the historiography of contemporary social sciences. Research works within the area of Global Labour History, in its international, comparative and non Eurocentric dimension, will be privileged.

  • Researchers:
    Ana Catarina Pinto
    Ana Sofia Ferreira
    António Monteiro Cardoso
    António Simões do Paço
    Albérico Afonso Costa
    Bruno Monteiro
    Carla Silva
    Cátia Teixeira
    Cleusa Santos
    Cláudia Figueiredo
    Constantino Piçarra
    Dalila Cabrita Mateus
    Florian Butollo
    Gilberto Calil
    Inês Brasão
    Inês Fonseca
    Joana Dias Pereira
    João Madeira
    João Marques Lopes
    João Valente Aguiar
    Jorge Fontes
    José Nuno Matos
    Luciana Soutelo
    Luís Farinha
    Maria Augusta Tavares
    Maria João Raminhos Duarte
    Maria da Paz Lima
    Miguel Pérez
    Paula Borges Santos
    Paulo Terra
    Paula Godinho
    Raquel Varela
    Ricardo Noronha
    Rita Luís
    Rui Jacinto
    Sílvia Correia
    Sónia Sofia Ferreira
    Susana Martins
    Teresa Medina
    Victor Pereira
    José Neves
    António Louçã
    Sadik Habib
    João Jordão
    Diogo Gomes
  • Ongoing Investigation Projects:
    Labour Relations in Portugal and the Lusophone World (IHC-CRIA-CHAM-International Institute for Social History)
  • Other Projects:
    2011 (…) La Transición Iberica. Portugal y España. El interes Internacional por la Liberalizacion Peninsular (1968-1978). Referência: HAR2011-27460.

    International project In the Same Boat? Shipbuilding and ship repair workers around the World (1950-2010). International Institute for Social History
  • Activity:
    O Grupo de Estudos do Trabalho e dos Conflitos Sociais é formado por 44 investigadores (integrados e colaboradores), portugueses e estrangeiros. Nas atividades académicas o Grupo destaca-se pela investigação nas áreas de história do trabalho, história dos movimentos sociais e da conflituosidade social. O Grupo tem um atividade centrada nos estudos do trabalho e dos movimentos sociais no Portugal contemporâneo, séculos XIX e XX, e uma atividade de relevo e alcance a nível internacional, estando inserido em projetos de história global do trabalho e em várias redes internacionais da área, das quais se destacam a International Association Strikes and Social Conflicts e o ITH-International Conference of Labour and Social History; e a parceria no Global Collaboratory on the History of Labour Relations (IISH).

    O Grupo de Estudos do Trabalho e dos Conflitos Sociais é um dos promotores da revista académica com arbitragem científica Workers of the World. International Journal on Strikes and Social Conflicts.
  • Activities Reports:
    O Grupo de Estudos do Trabalho e dos Conflitos Sociais, formada em Março de 2011, tem hoje 44 membros, entre investigadores integrados e colaboradores.

    O Grupo de Estudos do Trabalho e dos Conflitos Sociais realizou em 2011 um seminário internacional e 14 seminários nacionais, destacando-se a presença de mais de 500 investigadores nestas atividades, cerca de metade estrangeiros.

    Nas atividades académicas O Grupo de Estudos do Trabalho e dos Conflitos Sociais destaca-se pela capacidade de atração de convidados internacionais de renome, o que na nossa opinião é revelador do reconhecimento da qualidade das pesquisas levadas a cabo no Grupo. Estiveram em Portugal, a nosso convite, o director de investigação do Instituto Internacional de História Social, Marcel van der Linden, o membro da Academia das Ciências da Holanda Jan Lucassen, a renomada socióloga norte-americana Beverly Silver, o presidente da Maison des Sciences de L’Homme, Serge Wolikow, o director do Arquivo Edgard Leuenroth, Álvaro Bianchi, e várias directores de revistas internacionais com arbitragem científica.

    Do ponto de vista de alargamento deste Grupo de Estudos a outros campos das ciências sociais, contribuindo, por um lado, para a interdisciplinaridade e por outro, para o recrudescimento dos estudos históricos da área do trabalho, os objetivos foram largamente alcançados. Entre os 44 investigadores e colaboradores do Grupo, cerca de 1/3 provém das áreas de antropologia, sociologia e serviço social. O alcance da Área de Estudos deve ainda ser medido pela capacidade de atracção de investigadores de outras universidades nacionais e internacionais – metade dos investigadores do Grupo são de universidades e unidades de investigação que não a UNL. Como consequência, as actividades do Grupo lograram cruzar as diversas abordagens das ciências sociais, numa perspectiva interdisciplinar e não eurocêntrica (por exemplo, nos seminários The Mobility Transition Revisited; Trabalho Informal: história e sociologia; Áreas Industriais e Comunidades Operárias)

    Em todos os seminários procurou-se assegurar uma relação entre as componentes empírica e teórica dos seminários (ver por exemplo os seminários Classe, Valor e Conflito Social; A reflexão clássica em torno do Estado – liberalismo e marxismo (Novembro) / Estado Ampliado: Sociedade Civil, Sociedade Política e Hegemonia).

    Destas iniciativas nasceram novos projectos (projecto de história das relações laborais no mundo lusófono), várias publicações (no prelo, os livros Greves e Conflitos Sociais no Século XX Português, Áreas Industriais e Comunidades Operárias) e artigos em revistas com arbitragem científica.

    Destacamos ao nível da internacionalização a constituição da Associação Internacional de Estudos das Greves e dos Conflitos Sociais, de que o IHC, junto com o IISH, a MSH, o AEL e mais 17 instituições internacionais é sócio co-fundador. Neste momento um investigador desta Área de Estudos detém a presidência da Associação Internacional (Raquel Varela). Ainda no campo da internacionalização, queremos salientar que somos membros do ITH-International Conference of Labour and Social History, Áustria; efectuámos uma parceria com a Rede de Estudos do Trabalho (Brasil); e somos parceiros no Global Collaboratory on the History of Labour Relations (IISH).
    A nível nacional salientamos as parcerias com o Museu de Portimão; a Voz do Operário; a Universidade Popular do Porto; o IELT (UNL); o CHAM (UNL); o Instituto de Sociologia da FL da Universidade do Porto.